segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Eu Faço o que Eu Quero!



Eu faço o que eu quero

Isso mesmo. Eu faço o que eu quero! Qual é o motivo da sua indignação?
Já vai longe o tempo que as atitudes eram ditadas por essa ou aquela modinha. Embora estejamos todos vivendo em meio a diversas “tribos”, cada um de nós deveria assumir o controle de si, ir a luta e fazer o que quer.
Qual é a razão existente em controlar uma vontade, um sentimento, uma palavra?
Tem gente que vive reclamando da vida e passa por ela de um jeito sem graça, como se o arco-íris fosse cinza. Credo!
Pois pode me chamar de louca, inconseqüente me dê o nome que quiser. Prefiro arriscar. Mais vale a experiência dolorida do NÃO da tentativa do que a dúvida do TALVEZ. A maioria das pessoas tem consciência disso, mas pouquíssima gente tem coragem de praticar.
Quando você sabe exatamente o que quer, quando decide ir buscar, implica em mudar de atitude e essa mudança muitas vezes, senão em cem por cento delas faz você ter de sair da sua zona de conforto.
Às vezes o hábito fala tão mais alto que preferimos fica ali, estáticos, vivendo rotineiramente para não por em risco a “organização” do nosso mundinho. Resultado: dias iguais, pessoas iguais e o que é pior , você igual.
Eu detesto frases feitas, mas às vezes elas até servem pra alguma coisa. Um dia desses, me lembrei de uma, daquelas que as pessoas normalmente usam como estímulo à auto-motivação (hã ??) : “ Se você continuar fazendo as mesmas coisas, continuará obtendo os mesmos resultados “.
Refletir e interiorizar isso pode te levar a mudar de atitude, de profissão (que é o meu caso), buscar conhecimento, aprender coisas novas, apaixonar-se incondicionalmente por algo ou por alguém. Vai te fazer experimentar sensações novas, sabores, emoções, que às vezes por medo pura e simplesmente te deixam a vida inteira num estado de torpor, de quase hipnose. O tempo é curto.
Existe um texto de Clarice Lispector que se chama “Mudança”, que foi usado no lançamento de um carro na década de 1990. É um dos textos mais completos e complexos que já foram escritos, por traduzir exatamente a postura pessoal diante de fatos simples que podem mudar toda uma condição de vida. Vale a pena ler na íntegra, mas aqui deixo registrado o trecho do texto que me fez pensar em mudar minha vida:
“Mude. Lembre-se de que a Vida é uma só. E pense seriamente em arrumar um outro emprego, uma nova ocupação, um trabalho mais light, mais prazeroso, mais digno, mais humano. Se você não encontrar razoes para ser livre, invente-as. Seja criativo. E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa, longa, se possível sem destino.Experimente coisas novas. Troque novamente.
Mude, de novo. Experimente outra vez.Você certamente conhecerá coisas melhores e coisas piores do que as já conhecidas, mas não é isso o que importa.
O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia. Só o que está morto não muda!
Repito por pura alegria de viver: A salvação é pelo risco, sem o qual a vida não vale a pena! “
A liberdade de escolha é o fator determinante entre mudar e deixar tudo como está. Dentre outras razões, esse texto nasceu a partir da menção despretensiosa da frase que lhe dá o título.
A razão pela qual eu o escrevi pode ter a devida importância somente para mim , mas , se você deseja saber o por quê, eu digo : EU FAÇO O QUE EU QUERO!

Um comentário:

Barbara Semerene disse...

Amei seu elogio no meu blog!