segunda-feira, 26 de maio de 2008

Lembrança

Dedico este post à minha amiga Martha Correa.
Inundadas de uma emoção maluca, nós mulheres mergulhamos nesse poço desconhecido, sem luz, sem chão, sem fim, o Amor.
Amiga querida, sei bem o que sentes. Este poema é para ti, para mim e para todas as mulheres que como nós fazem do amor a única razão da existência valer realmente a pena.


Lembrança

Não sei ser metade
Com vontade de ser inteira
Não sei falar mentira
Por medo de dizer a verdade
Se eu souber onde vou chegar
Talvez não queira sair do lugar
O novo me instiga
Me atrai, mas não distrai
Meu coração
Não afasta meu pensamento
De querer-te ainda mais

Ainda que eu morra
Sem saber o teu sabor
Ainda que eu viva só
Acompanhada só da esperança
Prefiro a verdade da lágrima
Do que a alegria fingida
Prefiro a pureza da criança
À ignorância da experiência
Prefiro a lembrança
Dos momentos de riso
Em todas as horas que junto de ti
Dediquei-lhe à minha maneira
Todo o meu amor.

2 comentários:

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Adoro vir ao seu blog! É de muito bom gosto. Se quer saber um pouco mais de filmes e literatura, vá ao meu:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com/
não há ponto depois de www
Beijos,
Renata
(Vc não se esqueceu de mim ou se esqueceu?)

Martha Barbosa disse...

Prefiro a lembrança dos momentos de risos...
há minha amada amiga, sua poesia calou fundo, e aqui fiquei olhando para ela e minha alma bebendo cada palavra.Te adoro Fernanda.Obrigada por esta honra da postagem. beijos
te amo muito.