terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Ali JAZ o passado

Quando eu tinha treze ou quatorze anos, e depois até mais ou menos trinta, adquiri o hábito de escrever em agenda. Acho que muitas das jovens dessa época tinham sua agenda. Ela era nossa melhor amiga, daquelas confidentes à qual podíamos contar tudo, escrever em códigos, abreviar palavras e ela sempre entendia.

Na maior parte das vezes contávamos a essa grande amiga segredos tão particulares e os registrávamos com caneta colorida, perfumada, etiquetas de borboleta que embelezava ainda mais o que lá estava escrito. Incontáveis clipes coloridos, de todos os tamanhos, afixavam fotos de jornal, de revista, papel de bala, palito de sorvete e aquilo se tornava um tesouro de valor incalculável. Era como se toda a nossa vida estivesse configurada pela metáfora daquelas colagens e desenhos, misturadas às palavras que pareciam legendar o significado daquilo tudo, embora fosse meio inútil, pois havia coisas que nem todas as palavras do mundo poderiam explicar.

Estou jogando coisas fora. Esse processo teve início há uns dois meses e até que não me deparasse com a minha caixa cheia de agendas antigas, elas estavam lá perdidas e arquivadas em algum lugar da minha memória.

Algumas delas bem antigas contêm coisas que me trazem saudade imensurável: de 1989 a 1994, todas as minhas agendas são recheadas de reportagens e fotos do ídolo da época: Ayrton Senna. Depois do acidente trágico que o levou à morte, fórmula 1 perdeu o sentido para mim e nunca mais acompanhei nada.

As anteriores tinham coisinhas de adolescência pura, histórias das paixonites, das aulas cabuladas, das excursões da escola, do estágio, segredos das amigas seguidos de declarações de “jamais nos separaremos”, selados com as bocas de batom vermelho (valiam mais que assinatura) que usávamos escondido.

Abri um saco de lixo bem grande, e coloquei-as quase todas lá. Falta colocar a última.

Aqui tem uma rosa que um dia foi cor-de-rosa. Olhando para ela, assim seca, parece que ainda é viva e perfumada... Queria saber por que nos prendemos tanto ao passado.

Talvez seja a garantia de conservar quem somos e o que temos, uma espécie de identidade. Talvez seja para perpetuar momentos que desejaríamos reviver. Ou quem sabe ainda, para deixarmos o nosso lado masoquista sofrer um pouco mais.

Nesse clima de retrospectiva, o balanço geral foi:

- de todas as amigas que tive apenas uma delas cumpriu comigo a promessa de nunca nos separarmos;

- realizei alguns sonhos, outros se tornaram completamente obsoletos;

- nada mudou em minha vida quando fiz dezoito anos, exceto pelo acúmulo de responsabilidades, pelo aumento da carga horária de trabalho e de contas para pagar;

- continuo chorando por quase todas as mesmas coisas e por muitas outras que me contrariam ou me felicitam ao longo dos anos;

- sou mais feliz hoje do que aos vinte anos;
- nunca vi ninguém morrer de amor, nem mesmo eu;

- príncipe encantado não existe, mas o dono do coração da gente reina absoluto.

Hoje não escrevo mais em agendas e também não tenho hábito de usá-las para o fim a que se destinam.

Para o calendário que arrasta os dias impiedosamente, não dou importância. Não irei fazer promessas para o ano novo, porque todo dia é novo e os quero todos. Um após o outro. Se de janeiro a dezembro é um espaço estabelecido para cumprir obrigações sociais, civis e metas impostas por essa sociedade sedenta de progresso que ainda vai exterminar nossa raça, quero lançar mão de tudo o que é nocivo, medíocre e improdutivo.

Quero ser uma pessoa melhor, quero ser mais gentil e amável, quero ter dinheiro - e bastante- para me proporcionar momentos de maior prazer e aos que amo também.

Já que é inevitável, que venha 2009 e que mergulhemos todos nele desprovidos das correntes pesadas do passado.

Só quem é livre pode ser verdadeiramente feliz.

Lá vai a última agenda para o lixo!


12 comentários:

tossan disse...

Bonito texto Fernanda!
É verdade só ano e agenda são novos, a vida continua. Seja feliz e ganhe muito dinheiro com paz e saúde!

Isa disse...

Passei para deixar um bem haja!
E, claro, meu
beijoo.
isa.

oamorestanoarnomeular disse...

Olá Fernanda que lindo seu texto por incrível que pareça também ainda tenho muitas agendas guardadas,gosto de passear por elas de vez em quando não para sofrer mas para relembrar momentos bons que passei.

Um dia quem sabe tomo a mesma atitude que você tomou e coloco-as no lixo.

Gostei demais do seu cantinho e estarei aqui sempre que possível for.

Beijos no coração e obrigada pela visita.

Celamar Maione disse...

Fernanda
Também escrevi alguns diários na adolescência.Guardei-os num canto do armário. Para recordar. E nunca recordo....
Nunca me prendi ao passado.Sou mesmo igual ao Cazuza, o tempo não pára e vou seguindo em frente. O que passou passou. Vivo o hoje,sou meio " porra louca" . Espero pelo futuro sem ansiedade e não faço planos. Desisti.
Quanto ao " dono do meu coração", ele será dono até aparecer o próximo. Se não aparecer..aí fazer o quê ? Vai reinar absoluto, mas com certeza,não preciso dele para viver.
Seu texto me fez refletir muuuiitto !
Grande beijo

Dona Sra. Urtigão disse...

Oh !Que coragem. Eu ja beeem mais velha, não consigo ainda o desapego e me aferro a montes de papéis em caixas que nunca abro, e arrasto pela vida.
FELICIDADES !

Maria Clarinda disse...

Olá! Obrigada pela visita ao meu cantinho. Andar a ler-te foram momentos deliciosos acrescentados ao meu dia.
Sabes tenho um filho que tirou Comunicação Social :)
Adorei o teu post, sim nada como o desapego para que um novo ciclo começe...Jinhos muitos

Carla disse...

uiii eu também tinha as minhas agendas cheias de notas e amostras de poemas...ainda hoje guardo algumas. talvez um dia as deite todas fora também
beijos

Cultura Malcriada - disse...

Belo texto... realmente temos essa mania de ficar guardando coisas, claro que pelo valor sentimental e tudo, mas que depois vira um mundo de resquícios do passado que uma hora precisamos jogar fora e dar espaço pro novo. Mas muitas vezes dá uma dó...
Parabéns pelo texto, mais uma vez!

ELTON NEVES O ANJO DAS LETRAS. disse...

Sabe vim também te visitar,mas vou fazer mais que somente dizer que o teu blog é lindo,vc Fernanda escreve muito bem,teu texto flui livremente como um rio caudoloso. Sabe esta tua crônica da vida real me fez reviver a minha infância e adolescência,se bem que nós meninos não éramos de escrever em agendas ou diários,se bem que desde pequeno sempre gostei de ler e escrever, mas não escrevia em agendas não. Hoje tenho meu blog,e outras páginas literárias na web,aonde dou o meu grito de basta ao ódio e viva o amor. Sabe,só achei que vc não deveria jogar as agendas fora,se bem que isto é questão de opinião. Ter coisas assim guardadas não quer dizer que nos prendemos ao passado. E o passado serve para lembrar-nos quem somos e de onde viemos,e oque somos e vivemos hoje é reflexo do passado. Oque fazemos ou deixamos de fazer hoje pode fazer muita diferença amanhã. Por isso que gosto de museus,ele nos ensinam porque chegamos ao caos que chegamos,está tudo lá,o passado serve para compreendermos o nosso presente,e quando o nosso presente se tornar em passado,ele nos fará compreender muita coisa que viveremos em nosso futuro. Agora apegar-se ao passado,daí já é um grande equivoco. Beijos.

LUZIMAR disse...

Natal
Ivone Boechat

Acende seu amor,
aquece os pensamentos,
rejeita todo mal,
por isto,
lança tormentos
para longe de você,
convide Jesus Cristo
para a ceia de Natal!

Abre as janelas
da sua vida,
traga a esperança perdida,
a alegria quer chegar...
Acenda todas as velas,
convide o mundo inteiro,
é tempo de sonhar...

Olha a beleza da cidade,
quanta esperança no ar,
crianças cantando,
tempo de fé,
tanta gente lutando,
de pé, orando,
para tudo melhorar!


Feliz Natal e próspero ano novo
São os votos de:

http://oamorestanoarnomeular.blogspot.com/

Pensador Poético disse...

Fernanda meus parabéns seu blogger é muito importante para os demais inclusive para mim ...
Serve de exemplo pela capacidade de uma escrita bonita e acima de tudo verdadeira ...
está lindooo
Beijossss
eu queria acompanhar o seu blogger só quenão consigo
tchau!

Carla disse...

Passei para desejar

_________________Paz
_______________União
______________Alegrias
_____________Esperança
____________Amor Sucesso
___________Realizações Luz
__________Respeito harmonia
_________Saúde solidariedade
________Felicidade Humildade
_______Confraternização Pureza
______Amizade Sabedoria Perdão
_____Igualdade Liberdade Boa sorte
____Sinceridade Estima Fraternidade
___Equilíbrio Dignidade Benevolência
__Fé Bondade Paciência Brandura Força
Tenacidade Prosperidade Reconhecimento
_______________!!!!
_______________!!!!
_______________!!!!

beijos