sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Londres

Esse poema tem publicação tripla, está aqui no "Palavra Rasgada" não por acaso. Justa homenagem à minha overdose de sonhar com essa cidade.

Aquela cidade de portões antigos
Vermelhos, azuis, todos coloridos
Por pura bondade recebeu-te
De braços abertos acolheu-te
E espera como eu que voltes logo
E em tua bagagem me leve contigo

Teus olhos viram riquezas
Tua memória arquiva belezas
Que poucos entre muitos puderam ver
Linda sorte essa de tua vida
Vivida debaixo daquele céu cinza
Que nem outras vidas te farão esquecer

Do lado de cá do oceano
Seguimos a vida fazendo planos, em sintonia
De cruzarmos o céu rumo aos sonhos
Que construímos em conversas intermináveis
Para que enfim, chegue o esperado dia em que eu possa ver
As novidades que somente pelos teus olhos eu conhecia

3 comentários:

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Querida, acabei de voltar, estive longe muito longe, mas sempre lembrando de você.
Lindo poema! E a vida? Espero que linda também.
beijos querida.

MADRUGADA... disse...

Passei para deixar a minha impressão digital.

bjs

Carla disse...

Londres é um cidade encantada
beijos e belo trabalho