domingo, 16 de dezembro de 2007

Síndrome de Sísifo

" De maneira semelhante a Prometeu, Sísifo encarnava na mitologia grega a astúcia e a rebeldia do homem frente aos desígnios divinos. Sua audácia, no entanto, motivou exemplar castigo final de Zeus, que o condenou a empurrar eternamente, ladeira acima, uma pedra que rolava de novo ao atingir o topo de uma colina, conforme se narra na Odisséia. Sísifo é citado na Ilíada de Homero como filho de Éolo (iniciador da estirpe dos eólios). Rei de Éfira, mais tarde Corinto, é tido como o criador dos Jogos Ístmicos celebrados naquela cidade e como o mais astuto dos homens. Em relatos posteriores a Homero, aparece como pai de Ulisses, que teria gerado com Anticléia. A lenda mais conhecida sobre Sísifo conta que aprisionou Tânato, a morte, quando esta veio buscá-lo, e assim impediu por algum tempo que os homens morressem. Quando Tânato foi libertada, por interferência de Ares, Sísifo foi condenado a descer aos infernos, mas ordenou à esposa, Mérope, que não enterrasse seu corpo nem realizasse os sacrifícios rituais. Passado algum tempo, pediu permissão a Hades para regressar à Terra e castigar a mulher pela omissão e não voltou ao além-túmulo senão muito velho. Sua punição final reafirma uma provável concepção grega do inferno como lugar onde se realizam trabalhos infrutíferos. "

Existem tantos Sísifos na atualidade, que agora mesmo você pode estar de fronte a um ou até mesmo identificar-se com ele. São pessoas que vivem no "quase". Nunca conseguem terminar uma tarefa, um curso... Vivem começando várias coisas ao mesmo tempo. Começam com todo "o gás ", mas perdem o interesse e abandonam.Quase se casaram, quase foram promovidos, quase se formaram... ah se não fosse o quase. O que é pior é que em virtude de tantos "quases", os Sísifos têm a falsa impressão de sucesso.
São pessoas que pensam levar vantagem em tudo, visando apenas o próprio benefício. Claro que devemos nos colocar em primeiro lugar sempre. Mas isso não significa usar pessoas como degrau para colocar sua pedra no topo. Os Sísifos ficam sempre tendo idéias "magníficas"que QUASE dão certo. Isso pode ser desastroso a longo prazo. Ao final os "quases" não agregaram nada e a frustração pode vir à tona. O melhor é antes de tudo, jamais enganar a si próprio. Todas as ações, por menores e menos importantes que pareçam, requerem planejamento, execução e finalização. Se não houver essa ordem, é inevitável que a pedra role abaixo toda vez que você estiver QUASE lá em cima.

Um comentário:

Prince disse...

Sendo portadora de THB me identifico com a sindrome, pois em momentos de euforia sempre começo algo que posteriormente não termino.