sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Não foi bem isso que eu quis dizer



O que eu queria te dizer e o que significa o que eu disse

Te amo.
Isso basta. Amo porque amo e não há outra razão para dizer senão o amor. O amor já é completo por si e não há necessidade de dizer que amo muito, amo pouco ou mais ou menos. Amor é amor, eu amo e pronto.
Sinto sua falta. Falta de você, mas não de você. Sinto falta daquilo que falta em mim e que em você encontro.
Sinto saudade. Porque ela me trás de volta os momentos em que vivi intensamente as emoções que me permiti. Saudade do que fiz ou poderia ter feito. Saudade do momento em que eu falei e que poderia ter calado ou do momento que calei e que poderia ter falado. Poderia é futuro do pretérito, muito longe , imutável.
Você me completa. Não que me falte pedaços, mas porque somos diferentes. Se eu quisesse alguém igual a mim, não sairia da frente do espelho. Que graça tem encontrar somente a si mesmo? A vida não é previsível e descobrir as diferenças é aprender com elas com o poder de celebrá-las.
Eu te odeio. Te odeio porque você não me entende e não me olha nos olhos. O ódio é tão intenso e completo como o amor . Não existe odiar pouco, muito ou mais ou menos. Odeio e pronto.
Eu minto. Minto tanto que acabo mentindo para mim mesma quando tento me enganar e minto mais. Mas agora decidi falar a verdade. Acabei de mentir no parágrafo acima quando disse que te odeio.
Apague os dois últimos parágrafos, e volte ao primeiro. Ele diz tudo o que eu enrolei pra dizer nesse texto inteiro.
Te amo e pronto.

Um comentário:

Mateus disse...

LINDO ESSE TEXTO!!!!!!!!